Ganesha Chaturthi, dia de Ganesha, o removedor dos obstáculos

ॐ विनायकाय नमः।
Patrick van Lammeren

Om vināyakāya namaḥ|

“Saudações àquele que é o removedor dos obstáculos”.

ganesha

Hoje é Ganesha Chaturthi, dia do nascimento de Ganesha, o removedor dos obstáculos. Na Tradição Védica o Divino é reconhecido como tendo todas as formas, e inúmeros são seus aspectos. Nem tudo na vida é fácil, e encontramos obstáculos dos mais variados tipos. Apesar disso, tudo no Universo se manifesta no momento devido, de acordo com uma ordem, e até os obstáculos surgem e se dissolvem em nossas vidas de acordo com ela, conduzindo o indivíduo a uma maturidade. Esta ordem divina, então, é visualizada como Ganesha, que nos abençoa com as situações apropriadas.

Na mitologia hindu, conta-se que Shiva e Parvati se casaram e foram viver juntos no monte Kailasa. Enquanto Shiva saia para meditar, Parvati também aproveitava para permanecer consigo mesma, tomando seus longos e demorados banhos. Contudo, quando Shiva retornava interrompia seu banho, o que era muito inconveniente. E apesar de tentar de inúmeras formas impedir a entrada de Shiva até que teminasse seu banho, tudo foi em vão.

Por fim, Parvati resolveu moldar uma criança a partir do pó utilizado em seu banho, dando vida a ela. Entregou a ele um bastão, e o ordenou a permanecer na porta de sua casa e não deixar ninguém entrar. Retornando de sua meditação, Shiva encontrou o garoto, que impediu sua entrada apesar de toda a sua argumentação. Irritado, ordenou que seu exército de Ganas removesse a criança dali; porém, ela era poderosa demais, e ninguém conseguiu tal façanha.

Todos os Devas, as divindades, foram em socorro de Shiva, e uma terrível batalha teve início. Mas Parvati, já acompanhando toda a situação escondida, abençoou seu filho com todo o seu poder, o tornando forte o suficiente para resistir até mesmo ao exército dos Devas.

Finalmente, Shiva e Vishnu bolaram uma estratégia para distrai-lo, resultando em sua decaptação. Parvati, furiosa, evocou todo o exército de Devis, as deidades femininas, levando Shiva a perceber que havia matado o filho de sua própria esposa, e que o resultado de uma batalha entre Devas e Devis seria a completa destruição do Universo.

Rapidamente, Shiva tentou restaurar a vida do garoto, mas sua cabeça já havia sido perdida com o caos da batalha. Com isto, ele colocou a cabeça do primeiro ser que encontrou – um elefante que estava doente e prestes a morrer.

Com seu filho de volta à vida, Parvati exigiu que ele fosse considerado como um dos Devas, tão digno quanto os demais, e que fosse reverenciado antes de qualquer um deles. De acordo, Shiva saudou sua esposa e reconheceu o garoto como seu próprio filho. Além disso, o sagrou general de seu exército de Ganas, o nomeando Ganesha – “o Senhor dos Ganas”, o guardião que governa todos os obstáculos.

Ganesha nasce de uma situação de conflito e obstáculo, que resulta na solução de um problema. Ele próprio, de fato, é a solução e o resultado auspicioso, evidenciando que qualquer problema pelo qual estejamos passando, por mais sofrido e difícil que possa ser, tem sua importância e é necessário para o crescimento do indivíduo. A cabeça de elefante representa a discriminação, o instrumento para lidar com todos os obstáculos. Com maturidade e objetividade, adquirimos a habilidade de lidar com as dificuldades indo além delas, e isto também é Ganesha manifesto em nossas vidas.

Ganesha perde sua cabeça, que é substituida pela cabeça de elefante. O resultado é a entrada de Shiva em sua própria casa e a união com Parvati, estabelecendo a paz. Da mesma forma, a maturidade de mente é necessária para a eliminação da ignorância, o engano da visão de si mesmo como sendo o corpo e a mente, fonte de todo sofrimento. Com esta eliminação, há a aquisição do autoconhecimento, que é a descoberta de sua própria natureza livre de limitação e além de qualquer obstáculo. O indivíduo descobre já ser a paz que é o próprio objeto da busca fundamental de todo ser humano.

Que Ganesha ilumine nossas mentes e remova o maior dos obstáculos: a ignorância a respeito do Eu.

JAYA GANESHA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *