Vegetarianismo e Yoga

Por Sri Swami Sivananda

1. Introdução
O sábio Uddalaka instrui seu filho Svetaketu: “O Alimento quando é consumido, triplica-se. As partículas grossas tornam-se excremento, as medianas tornam-se carne, e a melhor delas (as mais finas, a quinta-essência) vão para a mente. Minha criança, quando a nata é batida, suas finas partículas sobem para a superfície formando a manteiga. Assim, minha criança, quando o alimento é consumido, suas finas partículas sobem para cima formando a mente. Por conseguinte, certamente, a mente é alimento”.

2. Os três tipos de dieta
Há três tipos de dieta, a saber: dieta Sáttvica, dieta Rajásica e dieta Tamásica. No Bhagavad-Gita, o Senhor Krishna fala para Arjuna: “O alimento que é querido para cada um é de três tipos. Os alimentos que aumentam a vitalidade, energia, vigor, saúde e alegria, e que são muito apetitosos, brandos, substanciais e agradáveis eles são queridos pelos puros. As pessoas movidas pela paixão desejam alimentos amargos, azedos, salgados, excessivamente quentes, picantes, secos e queimados, os quais produzem dor, sofrimento e doenças. Os alimentos com mau cheiro, ou sem gosto, pútridos, estragados e impuros são queridos para as pessoas Tamásicas”.

Alimentos sem violência são importantes para uma vida de Yoga

Alimentos sem violência são importantes para uma vida de Yoga

Leite, cevada, trigo, cereais, manteiga, queijo, tomates, mel, tâmaras, frutos, amêndoas e açúcar Candy são todos fartos alimentos Sattvicos. Eles tornam a mente pura e calma, e tocam uma muito importante parte nas práticas do aspirante espiritual, no desenvolvimento mental do estudante e na sua personalidade – poder dos líderes da humanidade. Peixe, ovos, carne, sal em excesso, pimentas e assafétida são alimentos Rajásicos; eles excitam a paixão e tornam a mente inquieta, instável, e incontrolável. Bife, vinho, alho, cebolas e tabaco são alimentos Tamásicos. Eles exercem influências não benéficas na mente humana e a enchem com emoções da ira, escuridão e inércia.

4. A dieta com carnes gera doenças
A carne gera doenças, excita as paixões, e produz inquietação da mente. Os cientistas chegaram a conclusão de que nela, na carne, existem componentes que são absolutamente venenosos. Um grande número de homens da medicina, que estudaram o assunto relacionado com a dieta na saúde, proíbe seus pacientes de comerem carne animal, não somente como um meio de cura para as suas doenças como a gota, reumatismo, etc., mas também como prevenção contra o ácido-úrico e as dores que ele provoca, e outras doenças de vários tipos, incluindo a tuberculose, o câncer e a apendicite.

A carne não é necessária para a manutenção perfeita da saúde, para o vigor e para a vitalidade. Pelo contrário, ela é altamente deletéria para a saúde; ela introduz no organismo uma série de hospedeiros para o sofrimento, assim como os parasitas intestinais, albuminúria, e outras doenças dos rins. Reconhecidamente, nos países em que se consome largamente a carne, o câncer é a causa de mortalidade mais elevada.

5. Comer carnes implica em sofrimento
Além de tudo o que vimos, o ato de comer carnes envolve o uso de crueldade, a qual não é nenhuma virtude. É uma característica bestial que degrada o homem. A crueldade é condenada por todos os grandes homens. Pitágoras condenava a dieta com carnes como sendo um alimento pecaminoso. O cruel massacre dos animais, tirando a vida de inocentes criaturas, fazendo deles pedaços de carne fresca, é abominável para todo as mulheres e homens sérios ao redor de todo o mundo.

O abate e o derrame de sangue é uma grande desgraça para a civilização e cultura humana. Matar os animais para alimentar-se deles é uma grande tolice; a mentalidade produzida nesta atitude está carregada com perigos em potencial para a vida da humanidade, fato este reconhecido por pessoas como o dramaturgo inglês George Bernard Shaw, que disse como há muito tempo os homens torturam e matam os animais, e comem suas carnes, sendo isto a razão de termos guerras.

As pessoas que são escravas do ato de comer carnes não podem abrir mãos da dieta animal, porque eles se tornaram comedores de carnes inveterados, e, por conseguinte, eles tentam justificar seu péssimo hábito de diversas maneiras, com argumentos e estatísticas. Ninguém poderá faze-los trocar de caminho simplesmente por argumentação ou disputa. No final das contas, é somente a força do exemplo pessoal que tem um poderoso efeito sobre as pessoas ao seu redor.

Hari Om Tat Sat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *